.Conhecer as contadoras de histórias

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.Novos reinados

. A girafa Constipada

. As autoras de Um conto de...

. O CARACOL PREGUIÇOSO E A ...

. Para breve

. Voltaremos brevemente

. As autoras de Um Conto de...

. O príncipe pintor

. A Zebra que perdeu o Pija...

. No País da Chuva

. Não podia deixar de...

. Um conto de reis a quatr...

. A lagarta Raquel

. Para breve

. Feliz 2008

. Uma aventura com fantasma...

. Para breve

. Pégadas de Areia

. Um Conto de reis

. A Rosa perdida

. A Rosa perdida Parte I

. Para a semana

. História da Bruxinha Andr...

. Para breve :

.Já reinaram

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2003

. Abril 2003

. Fevereiro 2003

. Janeiro 2003

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

A Zebra que perdeu o Pijama

A Alexandra era uma pequena e jovem zebra conhecida na sua selva por Xana das Riscas, pois como qualquer Zebra que se preze, a Xana exibia orgulhosamente um lindo pijama riscas, que cobria todo o seu corpo. Era do conhecimento de todos, que as Zebras eram senhoras de lindos pijamas às riscas e que nunca os largavam. A história que vos vou contar começou numa bela manhã de sol. A jovem zebra Xana acabara de acordar e como sempre dirigira-se ao rio para beber água e despertar, quando para sua surpresa, junto da sua amiga Libélula Bela, fizeram uma assustadora descoberta. Bela olhou para Xana e verificou que esta, estava sem riscas e perguntou-lhe:
- Que aconteceu ao teu pijama, para onde foram as taus belas riscas? Estás tão estranha que, nem te reconhecia!
 A Xana pensou que a Bela acordar com vontade de brincar e nem ligou.
- Ora que brincadeira, mais tonta, como havia de eu perder as riscas? Tens com cada uma -  retrucou a jovem Zebra rindo-se e foi beber água.
        Mas ao beber água verificou que o seu reflexo na água, aparecia sem riscas nenhumas. Olhou e voltou a olhar. Como podia tal acontecer? Nem estava a acreditar.
- Quer dizer, que não estavas a brincar Eu estou mesmo sem riscas!!!! Onde está o meu pijama?
- Desculpa Xana, mas eu estava a falar a sério. Eu quase nem te reconhecia. Quis-te avisar, mas não me acreditaste. Não o deixaste na cama?
- Claro que não Bela. Sabes que as Zebras nunca despem os seus pijamas. Fazem parte delas. Eu ficaria sem pele!!!
-Mas não tens pijama e tens pele!
-Isto é muito estranho. E agora o que faço?
- Vamos procurar se alguém viu o teu pijama. Anda, eu ajudo-te a procurar.
 -Sim .Vamos, respondeu a Xana.
      O primeiro lugar que foram procurar foi na cama da Zebra. Mas dentro da relva fofinha onde a Xana dormia, não estava nenhuma risca perdida, nem rasto de que alguém lhe pudesse ter roubado o seu pijama. O único rasto que existia, era o das patas da Xana até ao rio. Decidiram procurar então ao longo do rio, para ver se encontravam quem tinha visto o pijama da Xana.
   Já tinham andado uns metros quando avistaram o Elefante Mirante e o Crocodilo Murilo.

Com o elefante estavam à vontade, mas com o crocodilo todo o cuidado era pouco. Para falar com ele tinha de ser ao longe e convinha ter a certeza que este já estava de papo cheio. Mas quando o elefante estava por perto, ele não se atrevia a atacar ninguém. Por isso decidiram arriscar e perguntar. Pelo facto de o Murilo não apreciar Libélulas como petiscos, Bela achou mais seguro ser ela perguntar:
- Bom dia Crocodilo Murilo, por acaso viste o pijama da minha amiga Zebra Xana das Riscas?
- Um pijama de Zebra, sem Zebra? Não! Se o tivesse visto era sinal de que a tua amiga já nem estava por perto. - E olhou para a Xana que já não tinha riscas.
-Uma zebra sem riscas onde é que isso já se viu? De facto, ficas cómica assim sem riscas, nem tenho apetite para te almoçar.
         Foi aí que o elefante Mirante se meteu na conversa. O elefante Mirante era um elefante grande e possante e todos na selva o respeitavam, até o Leão que era o rei da Selva, perante o Mirante demonstrava muito respeito.
- Murilo, vê lá se não queres sentir o peso de um elefante. Já sabes que na minha presença, não atacas nenhum animal que venha beber ao rio.
- Oh Mirante tem calma- respondeu o crocodilo Murilo, - Eu não vou atacar ninguém, sabes bem que Libélulas é petisco que, não aprecio e uma zebra sem riscas era capaz de ser muito indigesta ou até estar estragada. Além disso estou de papo cheio.
-Bem, bem deixa-te de gracinhas Murilo, que eu sei bem do que és capaz.

Aproveitando para agradecer a Xana decidiu perguntar ao Elefante Mirante se este tinha visto o seu pijama:
_Obrigada, amigo Mirante por nos protegeres. Já agora podes-me dizer se viste por aí o meu pijama?
- Não, jovem Xana. Acho melhor marcares um a reunião com o nosso rei. Ele pode – te atender ao fim da tarde. Ao pôr-do-sol é hora de trégua na nossa selva. É a hora que o nosso rei atende todos pacificamente. E como é um rei digno cumpre, com a sua palavra de respeitar a trégua.
        Assim o fizeram a Zebra e a Libélula. Aguardaram pela hora da trégua para irem à reunião com o Leão. Foram perguntando pelo pijama da zebra a todos que encontram, mas ninguém o viu e todos se admiravam, de ver uma zebra sem pijama.
      Assim param o tempo até que o sol se começou a pôr.
 
-Vamos! Disse -Bela a Libélula está na hora, não podes desanimar.
Pois a Xana começava a ficar com um ar triste.
   Naquele dia, o Leão não atendia mais ninguém, por isso a Xana foi atendida rapidamente:
 

- Acho que já houve um caso assim na selva. Mas não fui que o resolvi. Foi Macaco Pimpão que é um grande sabichão. Por isso acho que deves ir rapidamente falar com ele antes que a noite desça.
   Xana e Bela agradeceram e despediram-se. Por sorte a casa do macaco Pimpão, era ali perto.
  Assim que Pimpão viu a Zebra, ela nem precisou falar:
- Olá Xana, perdeste o teu pijama e estás à procura dele não é?
- Sim, macaco Pimpão, falei com o crocodilo Murilo mas ele nada sabia, O elefante Mirante, aconselhou-me a falar com o Leão e o Leão aconselhou-me falar com o Macacão Pimpão, pois todos sabem que é um grande sabichão.
- E fez muito bem. Isso não é grave. Não perdeste o teu pijama. Apenas como estás a crescer ele está a renovar-se. Está a deixar de ser uma jovem Zebra para te transformares numa zebra adulta. Mas se quiseres enquanto as novas riscas não aparecem a minha mulher que é um a grande costureira pode fazer-te um pijama.
- Oh caro amigo Macaco Pimpão, ela não se importaria?!
- Claro que não me importo. - Respondeu a macaca Rosa que era uma costureira habilidosa.
-É só tirar-te as medidas e num instantinho faço-te um pijama de meter inveja à mais bela das zebras.

 E assim foi, Xana vestiu o pijama que macaca Rosa lhe costurou. Os dias passaram-se e um belo dia a beber no lago Xana verificou que as riscas tinham voltado à sua cara, pois o pijama que a macaca Rosa lhe oferecera só lhe cobria o corpo.
-Depressa tira o pijama falso! As tuas riscas voltaram! – Disse-lhe A Libélula Bela, entusiasmada.
Xana tirou o pijama e mirou-se no rio as riscas, tinham nascido de novo e ela tinha-se transformado numa bela zebra adulta com um magnífico pijama de riscas, que metia inveja a todas as outras zebras.
- Estás fantástica. Nunca vi Zebra tão bonita. O teu pijama novo é o mais belo que já vi.
 -Obrigada Bela e obrigada por me ajudares a resolver o mistério do pijama desaparecido.
- Ora, os amigos servem para isso não é? Não é só para nos divertirmos!
-Tens razão, mas foste mesmo uma amiga fantástica. Apesar de seres tão pequenina ao pé de mim, foste uma grande amiga.
-Ora, nunca ouviste dizer que os amigos não se medem os palmos. Eheh- riu-se a Libélula.
-Só mais uma coisa, o que vais fazer com o pijama que a macaca Rosa te costurou?
A xana fez um largo sorriso.
- Vou guardá-lo. É uma recordação fantástica e quando eu tiver os meus filhos. Já não têm que ir á procura do pijama, pois eu já tenho um de reserva.
- É uma boa ideia.
E riram-se as duas a imaginar um futuro feliz para a Xana, que voltara a ser conhecida na selva pela Xana das riscas, mas agora chamavam-lhe a bela Xana das riscas.

Dedicado à minha sobrinha Alexandra
Escrito e ilustrado por mim
Fantasia sonhada por Mamã Gansa às 09:30
link do post | Fantasie | Quero fantasia na minha vida
5 comentários:
De Sara V. a 2 de Março de 2008 às 01:22
Querida amiga, este conto está... O melhor que já escreveste para o mini-público! Muito gira a história... O enredo e a musicalidade das palavras. Muito giro! E as ilustrações?! Muito boas! Faço ideia foi o trabalhão para desenhar a bicharada! Vês, como fica tão bem?! Não "deves nada a ninguém"!!!! AMEI! Parabéns!

Beijocas
De Mamã Gansa a 3 de Março de 2008 às 11:11
Ainda bem gostaste.beijinhos
De Lipa a 4 de Março de 2008 às 13:00
Adorei.
De Mamã Gansa a 11 de Março de 2008 às 12:45
Obrigada,fico contente. Beijinho para ti e para a Dalila
De Mamã Gansa a 11 de Março de 2008 às 12:45
Obrigada,fico contente. Beijinho para ti e para a Dalila

Comentar post

.links